Depois do Tratamento da DTM Qual é o Próximo Passo?

A DTM ou disfunção temporomandibular é um problema que atinge os músculos e a articulação da região da mandíbula. Muita gente sofre com esta distensão sem saber porque nem sempre associam seus sintomas com problemas relacionados à saúde bucal. A DTM pode gerar enxaqueca, dor de ouvido, dor de dente, dor na nuca, estalos, dor ao mastigar, etc. Por isso, ela é considerada a principal causa de dor orofacial de origem não dentária.

Apesar de ser uma condição complexa, existe tratamento para o problema. Saiba como isso é feito e qual é o próximo passo após o desaparecimento dos sintomas.

Como é feito o tratamento da DTM

Na maioria dos casos não há apenas um tratamento para a DTM. O mais comum é que ocorra a associação de duas ou mais terapias, de acordo com cada caso. Tudo dependerá do diagnóstico do dentista.

Para indicar o tratamento o dentista deve fazer alguns exames. Um deles é o exame de palpação, no qual ele verificar se existem problemas de deslocamentos visíveis. Outro passo fundamental é uma conversa com o paciente, conhecida como anamnese, para conhecer seus hábitos de vida. Isso ajuda a identificar os motivos que podem causar a DTM. Em alguns casos podem ser solicitados outros exames como a polissonografia e imagens da ATM (articulação temporomandibular).

O tratamento é diverso e pode envolver uso de placa miorrelaxante, fisioterapia, técnicas de relaxamento, psicoterapia e uso de medicamentos.

Após o tratamento qual é o próximo passo?

O dentista pode sugerir alguns tratamentos para manter o alinhamento dos dentes e evitar que o problema volte. O primeiro passo é visitar um ortodontista para avaliar se há problemas de mordida. Os dentes desalinhados fazem com que haja uma sobrecarga do maxilar em relação à mandíbula. Neste caso, o dentista pode sugerir o uso de um aparelho ortodôntico.

Pode ser indicado também o uso contínuo da placa miorrelaxante. A placa ajuda a evitar o atrito dos dentes enquanto dormimos. Isso porque nem sempre essa movimentação é voluntária. Alguns pacientes rangem ou apertam os dentes sem nem perceberem, hábito conhecido como bruxismo. A placa ajuda a evitar este contato da maxila com a mandíbula que pode causar DTM e quebra dos dentes.

Há ainda casos em que o dentista pode indicar a utilização de próteses dentárias para reabilitar as funções orais. Isso vale especialmente para os pacientes mais velhos que podem ter perda da função dentária. Nestes casos, após controlados os sintomas da DTM pode ser necessário o uso das próteses para evitar que o problema volte.

Controlar o estresse e a ansiedade é fundamental

Depois do tratamento da DTM é muito importante que o paciente adquira bons hábitos de vida. A disfunção temporomandibular tem uma forte relação com o estresse e com a ansiedade. Isso acontece porque quando estamos tensos ou nervosos acabamos tensionando a região da mandíbula. Essa tensão é um dos fatores que causam a DTM.

Por isso, o paciente precisa cuidar de sua saúde mental para evitar que as tensões sobrecarreguem a região cranio-facial.

Caso você sofra com a DTM saiba que seu problema pode ter solução. Na Clínica Jin temos dentistas especialistas em disfunção temporomandibular. Venha nos visitar e saiba como você pode tratar a DTM e ter mais qualidade de vida.

Quem somos?

Caso você ainda não nos conheça, somos a Clínica Jin – clínica odontológica que visa sua saúde 360. Acreditamos no atendimento humanizado e buscamos trabalhar sob o lema: “não tratamos bocas, tratamos pessoas”. Para maiores informações, segue um vídeo de apresentação da Clínica Jin:

Para mais conteúdos como esse, acesse nosso blog ou entre em contato conosco.